Desabafo - Grávida e Sozinha.

Era a quinta vez que eu tentava engravidar. já tinha abortado duas vezes. não sei a razão de não acontecer. tentamos, fazemos tudo certo mas nada. é só por insistência do meu marido que continuava nessa tortura. a família dele também pressionava, diziam que estava mais que na hora de termos filhos, diziam que daqui a pouco não dará mais.

Não somos pessoas de dinheiro, não temos condições de fazer aqueles tratamento super caros que tem nas novelas. é sempre a mesma história, a culpa é sempre minha! a mãe dele nunca gostou de mim, dizia que eu não era mulher para o filho dele, achava que ele merecia coisa melhor. ela me acusava de não me esforçar, de não querer lhe dar netos.

Era briga atrás de briga. uma vez ouvir ele dizer que tinha casado com uma mulher estragada. nunca tinha chorado tanto na vida.

Após muito sofrimento e tentativas que não deram em nada, finalmente parecia ter conseguido engravidar. diferente das outras vezes, parecia que desta vez tudo daria certo, estava no quarto mês. das outras vezes nunca tinha ido tão longe. a vida tinha mudado totalmente: recebia atenção, cuidados, visitas, flores. cheguei até a me sentir importante!

Eu queria que o sexo fosse surpresa, não me importava se fosse menino ou menina. depois de tanto sofrimento eu estava muito feliz de finalmente ter um filho. mas ele e a mãe dele insistiam que eu tinha que saber. na verdade eram eles, pois queriam uma menina. tivemos mais brigas e mais discussões e acabei passando mal e parando no hospital.

Após uma visita ao meu médico que tinha pedido alguns exames, decobrí que o bebê tinha Síndrome de Down. confusa e assustada tive que procurar me informar melhor sobre essa doença. foi um choque na família dele. mais uma vez todos me culparam, diziam que era um castigo por eu não querer a criança e por tanto tempo a ter evitado.

Insinuaram que eu deveria tirar a criança e tentar de novo. recusei. tinha demorado muito para conseguir, e agora não ia de jeito nenhum matar meu bebê! iríamos cuidar dele! iríamos amar ele!

Eu estava enganada, no sétimo mês meu marido foi embora, disse que não ia sustentar mais nenhuma retardada, que já aturava uma mulher estragada e que não servia para nada! disse que estava voltando para casa da sua mãe e que não queria mais ouvir falar no assunto! mesmo eu insistindo, mesmo eu explicando que a criança não seria nada daquilo que ele estava pensando, mesmo dizendo ser uma menina, nem assim ele quis saber. eu iria amar, eu iria cuidar!

Tive que entregar a casa que era de aluguel, pois não trabalhava e não tinha como mantê-la. tive que voltar para casa da minha mãe, mesmo contra sua vontade. não tinha outro jeito.

Agora, quase na hora do bebê nascer estamos sozinhas. só uma pode contar com a outra, minha filha e eu!
Enviado por: Mãe Solteira.

2 comentários:

Eliana Ribeiro on 14 de fevereiro de 2011 07:59 disse...

Mamãe, acredito que você está certa! Se eu estivesse no seu lugar faria o mesmo. Cuidaria da criança com todo o amor do mundo, pois ter a Síndrome de Down, não é o fim do mundo. Hoje existem muitos recursos e a medicina já está bem avançada, mesmo para quem não possui recursos financeiros.Essas crianças são realmente especiais, muito amorosas e quando estimuladas a aprender são muito espertas e aprendem com facilidade.Amor de mãe, não existe igual, ame sempre sua filha e esqueça se o pai não a apoia, você hoje precisa ter fé em Deus e confiança em você! Deus ilumine a vocês duas com muita força e também toda a sua família.
Tenha um ótimo parto!
Eliana

Priscila on 30 de março de 2011 15:12 disse...

Que DEUS abençoe você e sua bebezinha! Vai dar tudo certo, em nome de JESUS. Confie em DEUS pois quem o tem no coração jamais estará sozinha.
Um abraço,
Priscila

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails
 

Gestantes Online Copyright © 2011 Baby Shop is Designed by Monica Souza Sponsored by Eduardo Iorio